Header Ads

Notícias de Última Hora

Ministro da Infraestrutura divulga prazos para entrega de portos no interior do AM


A reabertura dos portos dos municípios Beruri, Canutama, Itamarati, Guajará e Santa Isabel do Rio Negro, no interior do Amazonas, será realizada dentro de três meses, garantiu nesta quarta-feira (03/04) o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, durante audiência pública na Câmara Federal.

Os portos de Itacoatiara, Coari, Borba, Iranduba, Eirunepé e Novo Aripuanã serão reabertos em até seis meses devido a necessidade de obras na área portuária (retroporto), onde ficam armazéns e atividades portuárias.

O plano de ação e prazos para entrega das obras foram cobrados pelo deputado federal Pablo Oliva, que participou da audiência pública. O parlamentar explicou ao ministro que esses portos são de grande importância social e econômica para os municípios.

“Os municípios dependem desses portos para embarque e desembarque de passageiros e mercadorias, além de muitas vezes ser o único acesso à localidade”, explicou o deputado.

Quantos aos portos de Barcelos e Lábrea, também no interior do Amazonas, o ministro disse que as obras estão em fase de licitação. “Nosso compromisso com o povo do Amazonas é colocar os portos para funcionar o mais rápido possível”, comprometeu-se Tarcísio Freitas.


Ministro reafirma que percorrerá BR-319


A recuperação da rodovia BR-319 também foi cobrada durante a audiência pública. O deputado Pablo Oliva lembrou que no dia 23 de janeiro já havia conversado com o ministro sobre a estrada, cujas obras estavam paralisadas.

No início de fevereiro, uma nova reunião, dessa vez com deputados e senadores dos Estados do Amazonas, Rondônia e Acre, cobrou a retomada das obras na rodovia.

O ministro confirmou que, nos próximos meses, percorrerá a estrada e levará os órgãos que cuidam de licenciamento ambiental para verificar a situação da BR-319.

“Sou um apaixonado pelo Amazonas! Sou oficial do Exército há 17 anos, sendo que seis anos passei nos municípios de Santa Isabel, Tefé, Coari, Barcelos e São Gabriel da Cachoeira”, lembrou o ministro.

“A BR-319 precisa de senso de urgência. Temos que vencer a barreira do licenciamento ambiental e atender à necessidade dos povos da Amazônia”, acrescentou o ministro.

O deputado Pablo ressaltou que a estrada passa por várias reservas ambientais e áreas de conservação, por isso a retomada das obras é tão complicada. “A BR-319 tem 42 anos de idade. Existem vários interesses que dificultam a pavimentação da rodovia, porém o povo do Amazonas não desistirá até que a obra seja finalmente concluída”, finalizou o deputado.

Nenhum comentário