Header Ads

Notícias de Última Hora

Cooperação na saúde entre Amazonas e Acre inicia no dia 21

A medida vai beneficiar a população de municípios como Boca do Acre, Guajará, Ipixuna, Pauini e Envira
A partir do dia 21 de maio, Amazonas e Acre colocam em execução um acordo de cooperação que permitirá que pacientes do estado vizinho possam ter acesso a tratamento de saúde na capital amazonense. Em contrapartida, unidades de saúde do Acre atenderão, por meio do Sistema de Regulação (Sisreg), habitantes de municípios do sul ao Amazonas.

De acordo com o secretário Executivo Adjunto de Atenção Especializada do Interior, da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Cássio Roberto do Espírito Santo, a medida vai beneficiar a população de municípios como Boca do Acre, Guajará, Ipixuna, Pauini e Envira.

“Essas cidades ficam na fronteira com o Acre. Por conta da distância em relação a Manaus, ganha-se tempo e se economiza recursos quando o paciente consegue atendimento médico em Rio Branco, por exemplo. Em contrapartida, o Amazonas oferecerá aos acreanos serviços de alta complexidade que não são ofertados ainda na rede de saúde daquele estado”, explica Cássio Roberto, que esteve em Rio Branco (AC), na última segunda-feira (06/05), ocasião em que alinhou as ações do acordo com o governador e com o secretário de saúde do Acre, Gladson Cameli e Alysson Bestene, respectivamente.

Segundo o secretário, a partir do dia 21, o Acre abrirá vagas no Sisreg para pacientes do Amazonas.

Além do Acre, Cássio cumpre agenda de trabalho em municípios da região sul do Amazonas. O secretário informou que, ao retornar para Manaus, irá reunir os secretários de saúde dos municípios que serão beneficiados com a ação. O acordo também será pactuado na Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

“Acre e Amazonas têm uma relação de muita proximidade entre as suas populações. Queremos garantir com esses acordos que os nossos irmãos amazonenses sejam bem atendidos aqui no Estado e tudo aquilo que for possível fazer, vamos estender a nossa mão para a população que mais precisa, assim como eu tenho certeza que o Amazonas fará o mesmo pelos acreanos”, declarou o Gladson Cameli ao final da reunião de segunda-feira.

Consórcio

Outro assunto tratado na reunião foi a formação de um consórcio entre os estados da reunião norte na área da saúde. Segundo Cássio Roberto, atuando em conjunto, as secretarias terão mais força para pleitear mais atenção do governo federal no que diz respeito ao financiamento dos serviços de saúde na Amazônia.

“É do entendimento de todos que fazer saúde na região amazônica não é o mesmo que fazer em São Paulo, por exemplo. Então, o Ministério da Saúde precisa olhar com mais atenção na divisão dos recursos, entender que os estados do norte precisam de um tratamento diferenciado”, afirma o secretário.

Outra vantagem do consórcio, segundo Cássio, é a possibilidade dos estados realizarem compras de medicamentos e Produtos para Saúde (PPS) em conjunto. “Juntos, os estados poderão fazer grandes compras, e consequentemente adquirir esses produtos com menor preço”, explica o secretário.

A viabilidade de se criar um consórcio entre os estados da região norte na área da saúde foi tema da 5ª Assembleia do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), realizada no dia 24 de abril, em Brasília. O tema segue em tratativas entre os estados.
Foto: DIVULGAÇÃO/SUSAM

Nenhum comentário