Header Ads

Notícias de Última Hora

Adail Filho e Doutora Mayara são alvos de operação contra corrupção

Mandados de prisão estão sendo cumpridos desde as 6h nas duas localidades.

O Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) deflagrou na manhã de quinta-feira (26) operação em Manaus e Coari contra esquema de corrupção que desviou, pelo menos, R$ 100 milhões. Um dos alvos é o prefeito do município, Adail Filho.

Foram expedidos quatro mandados de prisão temporária e 70 Mandados de Busca Pessoal e de Busca e Apreensão, cumpridos em domicílios, órgãos públicos e em sedes de empresas. A Operação Patrinus contou com a atuação de quatro Promotores de Justiça e mais de 160 policiais, além de quatro técnicos da Controladoria-Geral da União (CGU), e contou com a força policial cedida pela Delegacia-Geral da Polícia Civil do Estado do Amazonas.

Está entre os alvos de busca e apreensão a deputada estadual Mayara Pinheiro - irmã do prefeito. Mayara foi a parlamentar mais votada do Amazonas. A defesa dela informou que não há um posicionamento oficial sobre a ação até o momento.


As investigações - que levaram mais de 18 meses - apuram situações que aconteceram durante os anos de 2017 e 2018. Os valores envolvem, segundo o MPAM, fraudes a licitações, dispensas indevidas de licitações e contratos superfaturados, dos quais serão aferidos os valores efetivamente desviados.

As medidas judiciais foram deferidas pela Desembargadora-relatora e estão sendo cumpridas na data de hoje, diante das provas e demais elementos de informação já existente, até o momento, os quais dão conta de:

Existência de sobrepreço nas contratações da Prefeitura de Coari;
Adjudicação frequente para as mesmas empresas;
Adjudicação para empresas recém constituídas;
Ajuste entre licitantes para fraudar o caráter competitivo das licitações;
Tentativa de afastar licitantes mediante oferecimento de vantagens;
"Apadrinhamento” de empresas por parentes e pessoas ligadas ao Chefe do Executivo para direcionamento do resultado de licitações e concessão de preferência na ordem dos pagamentos;
Retenção arbitrária de pagamentos para induzir oferecimento de vantagens;
Realização de pagamentos em montante superior aos serviços executados;
Utilização dos procedimentos licitatórios e dos sobrepreços nas contratações para geração de recursos para custeio de vantagens indevidas.

Família investigada

Adail Filho e Mayara Pinheiro são filhos de Adail Pinheiro - acusado de chefiar uma rede de pedofilia em Coari.

Pinheiro foi preso pela primeira vez em 2008 durante a Operação Vorax, da Polícia Federal, por suspeita de desviar mais de R$ 40 milhões. À época, os policiais também colheram indícios de que Adail chefiava uma rede de exploração sexual que contava com servidores públicos para identificar e aliciar as vítimas.

Em 2014, o ex-prefeito ele foi denunciado por pedofilia e condenado por comandar um esquema milionário de fraudes em licitações e desvios de recursos públicos na Prefeitura de Coari.

Fonte: G1 Amazonas
Foto: Leandro Guedes/Rede Amazônica

Nenhum comentário