Header Ads

Notícias de Última Hora

Sob pressão popular, vereadores recuam e decidem cobrar explicações sobre uso de carro da prefeitura no Caso Flávio

O vereador Chico Preto decidiu cobrar informações diretamente da Casa Militar da Prefeitura


Com a repercussão negativa nas redes sociais sobre a decisão da Câmara Municipal de Manaus (CMM) de arquivar o requerimento apresentado pelo vereador Chico Preto (sem partido), que pedia esclarecimento sobre o uso de carro e servidor público no local onde o engenheiro Flávio dos Santos foi assassinado, os vereadores mudaram de ideia e protocolizaram nesta terça-feira (08) um ofício coletivo à Prefeitura de Manaus. Nesta segunda, 39 dos 41 vereadores haviam votado contra o requerimento.

o vereador Chico Preto, solicitou da Casa Militar da Prefeitura, por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), o itinerário do veículo oficial (Toyota Corolla de placas PHY-8178), que de acordo com imagens das câmeras de segurança do condomínio Passaredo, no bairro Tarumã, esteve no local onde engenheiro Flávio Rodrigues, 42, foi assassinado.


“Vitória da indignação dos cidadãos. É impressionante a inversão total de valores. Fui extremamente atacado com uma sorte de adjetivos por parte da bancada que dá apoio ao Prefeito por fazer um simples questionamento à Prefeitura de Manaus. Quero tão somente esclarecer o uso da estrutura da Prefeitura. Faço isso sem regozijo nenhum”, destacou.

Além do itinerário do veículo, o ofício 055/2019, requer informações das funções desempenhadas pelos servidores públicos envolvidos no caso.

O presidente da CMM, Joelson Silva, afirmou que não quer transformar o caso em um ato político. "Não queremos transformar isso em uma questão política. A Justiça deve continuar investigando e solucione devidamente o caso. Resolvemos oficializar depois de uma reunião com a Mesa Diretora e o Conselho de Líderes da Câmara para que a Prefeitura possa indicar essas pessoas para que venham aqui prestar informações", disse o presidente.

Para o líder do prefeito na Câmara, vereador Marcel Alexandre (PHS), ainda é cedo para cobrar explicações da Prefeitura, mas, o ofício protocolado hoje atende a um apelo público.

"O colegiado de líderes entendeu que diante do apelo midiático, nós deveríamos então responder e oferecer a condição para que o município pudesse falar nesse momento. Mas entendo que o que eles podem dizer agora será muito limitado, mas se é um apelo popular, iremos atender",

A reunião será realizada amanhã, às 10h, no Plenário Adriano Jorge, na sede da Câmara Municipal de Manaus, que fica na rua Padre Agostinho, no bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus.

Nenhum comentário