Header Ads

Notícias de Última Hora

Doutora Mayara apresenta projeto determina notificação de casos confirmados de coronavírus no Amazonas


Quase  3 mil pessoas já morreram em virtude do novo coronavírus em todo o mundo, a maioria na China. Essa infecção está presente em pelo menos 64 países e o Brasil, segundo último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde,  já tem dois casos confirmados e outros 252 suspeitos.

A situação já deixou em alerta as autoridades no Amazonas. Por isso, a presidente da Comissão de Saúde e Previdência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputada estadual Dra. Mayara Pinheiro Reis (PP) apresentou um Projeto de Lei, que dispõe sobre a notificação compulsória em casos de confirmação do coronavírus, nos hospitais públicos e privados no Amazonas.

De acordo com o texto do PL, essa notificação deve conter os nomes dos pacientes e dos hospitais, quantitativo de pacientes em quarentena e em isolamento, locais onde ocorreram as contaminações, entre outros. É importante ressaltar que essas medidas têm como principal intuito evitar a contaminação ou propagação da doença

“O coronavírus vem preocupando a todos, por isso surge a necessidade de criarmos um sistema de verificação para identificarmos os casos de forma mais rápida, agilizar o tratamento e assim controlar a infecção no estado”, explicou.

A transmissão é feita por três formas: vias respiratórias como pelo ar, gotículas provenientes de espirros e da fala de indivíduos infectados, por contato físico através de beijos e abraços, e por meio de contato de superfícies contaminadas.

A parlamentar alerta ainda para os principais sintomas causados pela doença como tosse seca, febre e cansaço. Mas alguns pacientes podem sentir também dores no corpo, congestionamento nasal, inflamação na garganta ou diarreia.

“Precisamos sempre higienizar e lavar as mãos, pelo menos por vinte segundos com água e sabão e  álcool gel. E mesmo com as mãos limpas, evite tocar os olhos, nariz e boca. Cuidados simples que podem ajudar na prevenção desta e de outras doenças infecciosas”, ressaltou.

Nenhum comentário