Header Ads

Notícias de Última Hora

José Ricardo questiona Estado sobre estrutura do sistema de saúde e sugere que Arena e Sambódromo possam ser usados para atendimento às vítimas


Em conversa com os internautas sobre a pandemia do Coronavírus, por meio de live que está fazendo diariamente nas redes sociais, o deputado federal José Ricardo (PT/AM) fez ontem à tarde (21/3) alertas, questionamentos e sugestões passíveis de aplicação ao poder público estadual e municipal. Sugeriu que o Centro de Convenções, o Sambódromo, e a Arena da Amazônia possam ser adaptados para atendimento às vítimas, como ainda que a campanha contra a H1N1, que começa amanhã (23) para os grupos de risco, possa ser ampliada ao atendimento domiciliar, principalmente, dos idosos, evitando assim aglomerações. Também informou que encaminhou ofício ao Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), pedindo informações sobre a atual estrutura da saúde para esse período.

Na Câmara Federal, o deputado apresentou alguns projetos essa semana, para garantir segurança e renda ao trabalhador brasileiro nesse período de pandemia. Uma dessas propostas seria do Governo Federal utilizar parte dos recursos para o pagamento dos juros da dívida, hoje no valor total de R$ 1 trilhão, para compra de mais leitos para o Brasil e o Amazonas, Manaus e interior. “Seria possível utilizar somente 20% desse valor, honrando os compromissos internacionais, e injetando R$ 200 bilhões na saúde”.

Ao atualizar os dados oficiais no Brasil, onde os casos confirmados já passam de 1 mil, sendo 12 mortes, e que no Amazonas já são 26 os infectados, ele  chamou atenção para uma situação preocupante quanto à estrutura do sistema de saúde para atendimento nessa pandemia. “O ministro da Saúde afirmou que haverá colapso no sistema de saúde no país, em meados de abril, se o número de casos continuar subindo rapidamente. temos que nos preocupar, e muito. Estamos em curva ascendente, em parâmetros parecidos com outros países, como a Itália”, explicou.

Por isso, está fazendo os seguintes questionamentos ao Estado: qual quantidade de leitos de UTIs devidamente estruturados com ventilador mecânico, nas redes pública e privada no Amazonas? Qual a quantidade de leitos atualmente ocupados na rede pública e privada e qual a quantidade disponível para atender casos de Coronavírus? Qual a previsão de construção ou instalação de hospitais provisórios? Qual a quantidade de kit’s para realização do teste para o Coronavírus e a necessidade para atender o Estado? Quantos profissionais da saúde estão atuando diretamente no combate ao Coronavírus e quantos seriam necessários? Qual o recurso financeiro hoje disponível para investimento na área da saúde e qual seria o montante necessário nesse período? Dos casos atualmente registrados, com diagnósticos confirmados, quais os tratamentos medicamentosos e medidas de cuidados estão sendo realizados? Qual o fluxograma de atendimento adotado atualmente desde os casos suspeitos até aos casos confirmados?

“Estou recebendo muitas denúncias de pessoas com dificuldade de fazer o teste, com informações desencontradas. Muitos profissionais de saúde questionando sobre a estrutura de atendimentos nos hospitais de Manaus e equipamentos, como o ventilador mecânico, que seria insuficiente para atender toda a população. Há muita preocupação e desinformação. Assim, estou questionando o Estado sobre toda essa estrutura atual, bem como a necessária para esse período. E ainda cobrando do poder público que se ampliem as campanhas de prevenção e de orientação à população em todos os meios de comunicação”, declarou José Ricardo, sugerindo a ampliação de leitos em locais, como Arena da Amazônia e Sambódromo, que tem espaço e estacionamento amplo para esse atendimento emergencial.

Nenhum comentário