Header Ads

Notícias de Última Hora

Coronavírus: força-tarefa contra pandemia nos EUA racha em debate sobre uso da cloroquina e hidroxicloroquina


Disputa dividiu a ala científica, que aponta falta de evidências da eficácia das drogas contra o coronavírus, e conselheiros ligados a Trump que não têm experiência médica


A discussão em torno da eficiência da cloroquina e da hidroxicloroquina contra a Covid-19 tem provocado tensões dentro do governo dos Estados Unidos . Uma dura discussão em uma reunião na Casa Branca no último sábado ilustra as tensões entre a ala científica da força-tarefa, representada pela figura de Anthony Fauci , diretor do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas e Alérgicas, céticos quanto à eficácia das duas drogas, e o grupo de defensores, formado por políticos e conselheiros sem experiência médica, incluindo o presidente Donald Trump .

O conselheiro de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro , confirmou à rede CNN ter tido uma dura discussão com Fauci a respeito dos medicamentos. O médico, bem como outros conselheiros da área de saúde no governo, sustenta que não há evidências suficientes de que a cloroquina e a hidroxicloroquina sejam eficazes na luta contra o coronavírus .

Navarro, por sua vez, foi indicado por Trump para coordenar a implementação da Lei de Defesa da Produção, criada para ampliar a produção de equipamentos médicos. O conselheiro reconhece que não há dados científicos suficientes, mas afirma que os estudos apresentados até agora já são convincentes.

"Houve essa discussão no último sábado. Se não tivéssemos discordâncias e debates, a administração Trump não seria tão sólida como é", disse Navarro à CNN.

Trump está convencido sobre a eficácia das duas drogas e tem pressionado funcionários da Saúde para disponibilizar os remédios para o tratamento contra o coronavírus, segundo duas fontes ouvidas pela Reuters.

O presidente americano vê os remédios como um "tratamento potencial" e acredita que eles podem ser um ponto de virada no combate à pandemia, mesmo com poucas evidências disponíveis. No último domingo, em uma coletiva de imprensa da força-tarefa, Trump voltou a defendê-los, mas adicionou:

"O que eu sei a respeito? Eu não sou um médico".

No entanto, quando Fauci, que é médico, foi questionado sobre os medicamentos na mesma colletiva, Trump impediu que ele respondesse à pergunta.

"Sabe quantas vezes ele já respondeu a essa pergunta? Acho que umas 15 vezes", disse Trump.

Testes em NY

Na mesma entrevista à CNN, Navarro disse que há quase um consenso dentro da força-tarefa de que a Agência Federal de Gestão de Emergências americana (Fema, na sigla em inglês) passaria a distribuir a hidroxicloroquina nas zonas mais atingidas pela Covid-19. A decisão, salientou, seria entre médicos e pacientes. Navarro acrescentou que há pelo menos 29 milhões de comprimidos estocados.

De acordo com o conselheiro, a hidroxicloroquina tem sido prescrita para pacientes que dão entrada em hospitais de Nova York apresentando os sintomas da Covid-19. Estudos que defendem o uso da droga indicam que ela ajuda a reduzir a inflamação causada pela resposta do sistema imunológico ao Sars-CoV-2.

Nesta segunda-feira, um funcionário do sistema de saúde de Nova York confirmou que muitos pacientes internados nos 11 hospitais públicos da cidade receberam doses do remédio, mas que ainda é cedo para determinar sua eficácia.

"Ainda estamos analisando os dados, mas, neste momento, estamos tentando fazer tudo o que podemos para salvar pacientes", explicou Eric Wei, vice-presidente e diretor de qualidade da NYC Health + Hospitals, uma autarquia que administra os hospitais públicos nova-iorquinos.

Navarro argumenta que há "numerosos estudos científicos que indicam uma potencial eficácia" da cloroquina e da hidroxicloroquina, incluindo um trabalho publicado recentemente envolvendo pesquisas em Wuhan, na China, onde o Sars-CoV-2 foi detectado pela primeira vez

"Meu papel (nessa discussão) tem sido de sugerir que tenhamos esses medicamentos estocados", resumiu o conselheiro.

Nenhum comentário